A reinvenção da paternidade

 

O homem aprendeu de maneira secular a ser duro, forte e a lutar com unhas e dentes pelo seu território. Assim, a natureza do homem encontrou na figura do pai a função ideal, um papel exemplarmente exercido no seio familiar.

 

O homem encarnou no pai as mesmas propostas falidas de um rei que governa seu povo ou de um general que comanda sua tropa. De maneira vertical, era notável a rigidez da sua presença, bem como a forma implacável com que impunha regras e padrões de conduta, o que foi determinante na formação de modelos sociais familiares que imperaram por muito tempo.

 

O modelo foi regido baseado na repressão da sexualidade feminina e na hierarquização das relações com os filhos. Presenciamos, ao longo de décadas, famílias cujo pai mantinha uma distância emocionalmente justificada dos filhos e, ao mesmo tempo, um isolamento que tornava sua figura um verdadeiro mistério a ser desvendado.


Décadas se passaram e esse pai precisou ser reinventado e fez isso por si mesmo. A família se redesenhou de várias formas. As relações do pai com filhos e com a parceira (ou com o parceiro) são mais horizontais e participativas. Não há mais lugar para um pai autocrático, cuja voz reverbera somente seu mais absoluto desejo.

 

Hoje é preciso ser um pai que busque rotas e alternativas que impliquem o aprendizado mútuo, já que os filhos valorizam significativamente o sentido emocional das experiências vividas e compartilhadas com aqueles que amam.

 

Um pai precisa estar disposto a esta aventura angustiante e reveladora. Ele precisa sair da antiga posição e se aproximar da família, o que é, com certeza, um dos mais significativos atos de reinvenção da paternidade.

 

O reposicionamento paterno não só desmistifica todos aqueles velhos papéis ultrapassados, como o que coloca o pai como um super-homem, mas também lhe permite viver livremente, sem que o mundo fique sobre suas costas e sem que a família fique distante dele.

 

Prof. Dr. Rodrigo Otávio Fonseca

Psicólogo/Psicanalista - Ciclos Espaço Terapêutico

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Nosso Time

De segunda a sexta-feira das 8h às 20h.

De segunda a sexta-feira:

8h às 12h  /  13h às 20h.

CICLOS Espaço Terapêutico

R. Ciomara Amaral de Paula, 30  -  Pouso Alegre  -  MG 

CICLOS 2020  -   Site criado por Hellen Morais Jornalista e Webdesigner

(35)  99992-3280

(35)    3421-0491

Home  |  Quem Somos  |  Serviços  |  Onde Estamos  |  Contato